Governo Aumenta Alíquota de Importação para Borracha Natural

Buscando Equilíbrio na Indústria Nacional

Hevea brasiliensis

Em uma decisão que busca promover um ambiente mais equilibrado na indústria nacional, o Governo Federal aprovou, durante a reunião do Comitê-Executivo de Gestão da Camex realizada nesta terça-feira, o aumento da alíquota do imposto de importação para a borracha natural. O elastômero, que atualmente é tributado a uma taxa de 3,2%, verá sua alíquota aumentar para 10,8% ao longo dos próximos 24 meses.

A heveicultura brasileira, responsável pela produção de borracha natural, tem enfrentado desafios decorrentes das flutuações acentuadas nos preços internacionais do elastômero. Essas oscilações têm impactado a competitividade dos produtos nacionais frente às importações de países do Sudeste Asiático.

Ao analisar essa medida, o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, ressaltou a importância de buscar um equilíbrio saudável entre a produção nacional e a importação. Ele destacou: "Aprovamos hoje o ajuste da alíquota de importação de borracha natural para 10,8%. Isso visa fortalecer os produtores, a cadeia produtiva e a indústria como um todo". O ministro explicou que, no início do ano, o governo teve que reintroduzir a taxação sobre pneus importados para o Brasil, revertendo uma decisão anterior.

Fávaro também enfatizou a colaboração conjunta de membros do governo na formulação dessa decisão. Ele afirmou: "Esse trabalho foi realizado com dedicação pelo nosso secretário de Comércio e Relações Internacionais, Roberto Perosa, juntamente com o nosso vice-presidente Geraldo Alckmin, na Camex. Essa medida é importante para fortalecer toda a cadeia da borracha natural, desde o produtor até a indústria nacional".

Além do aumento na alíquota de importação, outras iniciativas foram implementadas para apoiar a indústria e os produtores de borracha. O presidente da Conab, Edegar Pretto, e sua equipe lançaram editais de apoio à comercialização da borracha, demonstrando o compromisso do governo em sustentar todos os elos dessa cadeia produtiva.

O ministro Fávaro concluiu suas declarações reforçando o papel do governo em criar um ambiente equilibrado para todos os atores da indústria. Ele declarou: "É o governo trabalhando para promover tanto a indústria quanto os produtores. Estamos direcionando o Brasil na direção certa".






Essa decisão reflete o esforço do governo em proteger e equilibrar a indústria nacional, especialmente em setores críticos como a produção de borracha natural. Com uma alíquota de importação mais alta, a intenção é que a indústria nacional possa recuperar sua competitividade e criar um ambiente mais favorável para os produtores locais.


A borracha natural

A borracha natural é um polímero elástico obtido a partir da seiva da seringueira (Hevea brasiliensis). Originária da Amazônia, sua produção envolve incisões na casca da árvore para coletar o látex, que é posteriormente coagulado e processado. A borracha natural é usada em uma variedade de aplicações, desde pneus e produtos industriais até artigos esportivos e produtos de consumo. Sua flexibilidade, resistência e propriedades isolantes a tornam valiosa. No entanto, a dependência da seringueira e os desafios do cultivo sustentável levaram ao desenvolvimento de borrachas sintéticas como alternativas viáveis.


Fonte: Mapa

Postar um comentário

0 Comentários