Mapa realiza workshop para definir linhas de pesquisa para a doença do mormo

Fortalecendo o conhecimento científico para a gestão eficaz da política pública

Cavalo


No dia 15 de agosto, o Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária promoveu um marco no combate à doença do mormo ao sediar o primeiro Workshop sobre a enfermidade. O evento, que contou com a participação da Câmara Setorial da Equideocultura, representantes da cadeia produtiva, Ministério da Saúde, especialistas em saúde animal de instituições renomadas como a Universidade de Brasília, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Panaftosa, Embrapa e Laboratórios da Rede LFDA, teve como principal foco fortalecer o conhecimento científico e aprimorar a gestão da política pública relacionada à doença no Brasil.

Este workshop se insere no contexto do aprimoramento das estratégias de combate à doença do mormo, que ganhou diretrizes ainda mais sólidas com a publicação da Portaria nº 593/2023. Essa portaria apresenta as novas diretrizes gerais para prevenção, controle e erradicação do mormo no território nacional, no âmbito do Programa Nacional de Sanidade dos Equídeos (PNSE).

Durante as discussões, foram identificadas estratégias prioritárias que direcionarão os esforços da comunidade científica e das autoridades envolvidas na luta contra o mormo. Algumas dessas estratégias incluem o contínuo aprimoramento do diagnóstico da doença, a formulação de estratégias de controle específicas, levando em consideração as características equoprodutivas e epidemiológicas distintas das diferentes regiões do país, a compartimentação, a reabertura de mercados, a definição de linhas de pesquisa e sua subsequente priorização, utilizando a metodologia científica AHP (Analytic Hierarchy Process), e a busca por recursos para a efetiva realização das pesquisas.





O mormo 

O mormo, uma enfermidade infecciosa causada pela bactéria Burkholderia mallei, é uma grande preocupação para a saúde animal e a indústria equestre. Afetando principalmente equídeos, essa doença está na lista de notificação obrigatória da OMSA (Organização Mundial de Saúde Animal). O enfrentamento do mormo exige uma abordagem colaborativa e direcionada, concentrando esforços e recursos no desenvolvimento de estratégias eficazes para prevenção, controle e erradicação.


O evento destacou a importância da integração de diferentes setores, desde a academia até as entidades governamentais e a indústria, para se obter resultados significativos na luta contra o mormo. A busca por soluções baseadas em evidências científicas sólidas e a aplicação de métodos inovadores são essenciais para controlar essa enfermidade e garantir a saúde dos equídeos e a segurança da cadeia produtiva equestre.

O Workshop sobre o mormo marca um passo significativo em direção a uma abordagem mais eficaz e coordenada na prevenção e controle dessa doença. A união de conhecimentos, recursos e esforços certamente contribuirá para a erradicação do mormo, assegurando um futuro mais saudável para os equídeos e para toda a indústria ligada a esses animais. 


Fonte: Mapa

Postar um comentário

0 Comentários