Plano Safra tem R$5,1 bilhões adicionais para agronegócio e agricultura familiar

Recursos substanciais do BNDES fortalecem o setor agropecuário, com destaque para a agricultura empresarial e familiar, marcando a maior participação da instituição na história do Plano Safra.

Colheitadeira e um trator lado a lado.

O Governo Federal anunciou uma injeção significativa de recursos no setor agropecuário por meio do Plano Safra 2023-2024, com a disponibilização de R$5,1 bilhões adicionais provenientes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Essa iniciativa visa impulsionar a agricultura empresarial e a agricultura familiar, com ênfase em programas estratégicos que promovem modernização, aquisição de máquinas e equipamentos, e desenvolvimento sustentável.


Destaque para a Agricultura Empresarial: Programa Moderfrota Recebe R$1 bilhão

Uma parcela substancial dos recursos, equivalente a R$3,4 bilhões, será destinada à agricultura empresarial. Dentre os programas contemplados, o Moderfrota se destaca, recebendo um aporte de R$1 bilhão. Esse investimento é direcionado para a aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas, proporcionando aos produtores acesso a tecnologias de última geração que aumentam a eficiência produtiva e a competitividade.


Agricultura Familiar Fortalecida: R$1,7 bilhão para o Pronaf

Reconhecendo a importância vital da agricultura familiar no panorama agrícola do país, o Plano Safra destina R$1,7 bilhão adicionais ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Essa alocação visa apoiar os pequenos agricultores por meio de financiamentos acessíveis, permitindo-lhes investir em suas atividades, melhorar a infraestrutura e garantir a sustentabilidade de suas operações.


BNDES na Vanguarda: Maior Participação Histórica no Plano Safra

O presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, destacou a importância dessa iniciativa e o esforço do Banco para promover a agricultura de precisão. Ele ressaltou que essa é a maior participação do BNDES na história do Plano Safra, englobando tanto a agricultura comercial quanto a familiar. No primeiro semestre do ano, o Banco registrou um aumento de 54% no desembolso para o setor agro, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Além disso, Mercadante enfatizou que essa expansão vem acompanhada de uma gestão aprimorada, com o BNDES monitorando de forma contínua as propriedades rurais para garantir que os empréstimos sejam direcionados de maneira responsável e não contribuam para o desmatamento irregular.



Veja mais (a reportagem continua): 
Cebola: Do Campo à Sua Cozinha

Cebolas na terra, enfileiradas.




Descentralização Estratégica: Alcance Amplo e Desenvolvimento Regional

O BNDES adota um modelo de operação que viabiliza a distribuição descentralizada dos recursos por todo o país. Já no Plano Safra 2023/24, mais de R$11,5 bilhões foram protocolados por meio de instituições parceiras, incluindo agências de fomento, bancos cooperativos, bancos de montadoras e bancos públicos. Esse modelo visa não apenas facilitar o acesso ao crédito, mas também impulsionar o desenvolvimento regional e a política pública de apoio à agropecuária. Desde o início de julho de 2023, cerca de 57,5 mil produtores rurais e suas cooperativas foram alcançados por essa estratégia.


Maior Orçamento da História: Ampliando o Acesso ao Crédito Rural

O Plano Safra 2023/24 se destaca pelo maior orçamento já destinado pelo BNDES para o setor agropecuário. Com um total de R$38,4 bilhões, esse orçamento representa um aumento de 53% em relação ao Plano Safra anterior. Dessa quantia, R$26,4 bilhões são destinados a recursos com juros equalizados dos Programas Agropecuários do Governo Federal (PAGFs), enquanto R$12 bilhões provêm diretamente do BNDES por meio do BNDES Crédito Rural, garantindo uma oferta contínua e estável de recursos ao setor.


Fonte: Mapa

Postar um comentário

0 Comentários