PIB do RS Cresce 2,3% no Segundo Trimestre Com expansão da Agropecuária

Desempenho economia gaúcha supera o nacional, com expansão da agropecuária e indústria, elevando o PIB do RS em 2,3% no segundo trimestre de 2023

Colheitadeira colhendo no campo.
Imagem de Peggychoucair por Pixabay


A economia do Rio Grande do Sul apresentou um crescimento notável de 2,3% no segundo trimestre de 2023 em comparação com o trimestre anterior, segundo dados divulgados pelo Departamento de Economia e Estatística (DEE) vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG). Esse desempenho superou o registrado em todo o Brasil, onde o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) foi de apenas 0,9% no mesmo período.


Setores Chave Impulsionam o Crescimento

O destaque desse crescimento gaúcho foi impulsionado pelos setores da agropecuária, que apresentou um crescimento significativo de 4,1%, e da indústria, que teve um aumento de 3,3%. Ambos superaram os números do país, que registrou queda de 0,9% na agropecuária e um modesto crescimento de 0,9% na indústria.

O setor de serviços, que é um pilar fundamental da economia, registrou um aumento de 0,4% no Rio Grande do Sul, comparável ao aumento de 0,6% em todo o país.


Crescimento Anual Expressivo

Na comparação com o mesmo trimestre de 2022, o crescimento da economia gaúcha foi ainda mais notável, com um aumento de 7,5%, enquanto o Brasil teve um crescimento de 3,4% no mesmo período.


Agricultura como Fator Determinante

Apesar das adversidades climáticas enfrentadas, o Estado do Rio Grande do Sul conseguiu minimizar os impactos das estiagens, resultando em uma expansão expressiva de 44% na agropecuária, em contraste com os 17% de crescimento registrados em todo o Brasil no segundo trimestre em relação ao mesmo período de 2022. A produção de soja e milho desempenhou um papel crucial nesse resultado positivo, com aumentos de 36% e 31,8%, respectivamente.


Desafios na Indústria

A indústria, por outro lado, foi o único grande segmento da economia a apresentar uma queda no PIB do Rio Grande do Sul, com uma retração de 5%, enquanto o Brasil teve um crescimento de 1,5% no mesmo período. As indústrias de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana foram as mais afetadas, com uma queda de 12,6%. A indústria de transformação, a mais representativa do Estado, teve uma queda de 4,8%, influenciada negativamente pela produção de produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-10,3%) e produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (-20,3%).


Serviços em Ascensão

Os serviços mostraram um aumento de 2,6% no segundo trimestre no Rio Grande do Sul, superando os 2,3% registrados em todo o país. Destaques desse segmento incluem atividades de intermediação financeira e seguros (9%), serviços de informação (5,6%) e transportes, armazenagem e correio (3,9%). No entanto, o comércio apresentou uma exceção com uma queda de 1,3% em relação a 2022.


Comércio: Destaques e Desafios

No setor de comércio, o segmento de veículos foi o principal destaque do período, com um crescimento impressionante de 25,3%. Vendas de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos de perfumaria e cosméticos (8,2%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,4%) também apresentaram crescimento. Por outro lado, algumas atividades comerciais enfrentaram quedas significativas, como o comércio de outros artigos de uso pessoal e doméstico (-15,2%), combustíveis e lubrificantes (-6,6%), e tecidos, vestuário e calçados (-13,1%).


Perspectivas Futuras

A economia do Rio Grande do Sul enfrentará novos desafios no próximo trimestre, com os efeitos adversos do clima que resultaram em prejuízos aos municípios gaúchos. No entanto, os números positivos do segundo trimestre demonstram a resiliência do Estado e indicam que a política econômica está contribuindo para recolocar o Rio Grande do Sul no caminho do desenvolvimento.


Acumulado nos Últimos Quatro Trimestres

Considerando os últimos quatro trimestres, do terceiro trimestre de 2022 ao segundo trimestre de 2023, o PIB do Rio Grande do Sul apresentou um crescimento de 1,5%, enquanto o Brasil acumulou um crescimento de 3,2% no mesmo período.

Os dados econômicos recentes do Estado do Rio Grande do Sul são bons e apontam para um cenário de recuperação, com a agropecuária desempenhando um papel crucial, embora desafios persistentes permaneçam em setores como a indústria.


Fonte: Mapa

Postar um comentário

0 Comentários