ANMIEF: Brasil Amplia Mercados Internacionais com Exportação de Farelo de Milho

Abertura de mercados internacionais destaca crescimento do Brasil na exportação de farelo de milho

Farelo de milho

O governo brasileiro recebeu com satisfação a notícia da abertura dos mercados do Vietnã, Tailândia, Turquia e Nova Zelândia para a exportação de farelo de milho, um subproduto essencial da produção de etanol de milho. Tal conquista representa não apenas um avanço econômico para o país, mas também destaca as sólidas relações diplomáticas brasileiras no cenário internacional.


DDGS/DDG: Insumo Estratégico na Produção de Proteína Animal

Os DDGS/DDG, denominados tecnicamente como distiller´s dried grains e distiller´s dried grains with solubles, são resultantes da produção de etanol de milho na segunda safra. Esses subprodutos têm papel crucial como fonte proteica e energética nas formulações de ração animal, abrangendo diversas categorias como ruminantes, suínos, aves, peixes e camarões.

De acordo com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), as projeções indicam um expressivo aumento na produção de etanol de milho brasileiro até 2031/2032, atingindo a marca de 10,88 bilhões de litros. Esse crescimento resultará em uma oferta de aproximadamente 6,5 milhões de toneladas de DDG/DDGS para o mercado.


Colaboração entre Ministérios

A abertura desses novos mercados é fruto dos esforços conjuntos entre o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e o Ministério das Relações Exteriores (MRE). Essa colaboração é importante para o agronegócio e ampliar a oferta de insumos para a produção de proteína animal, consolidando a posição do Brasil como um dos líderes globais nesse setor.


Brasil: Terceiro Maior Produtor de Milho do Mundo

Atualmente, o Brasil ocupa a posição de terceiro maior produtor mundial de milho, ficando atrás apenas da China e dos Estados Unidos. Cerca de 10% da produção de milho é destinada à produção de etanol, realizada na segunda safra, conhecida como "safrinha". Essa prática agrícola, que utiliza a mesma área após a colheita da safra principal no mesmo ano, contribui para a redução significativa das emissões de gás carbônico.


Sustentabilidade do Etanol de Milho: Pegada Ambiental Reduzida

Segundo as métricas do governo brasileiro, o etanol de milho apresenta uma das pegadas ambientais mais baixas entre todas as usinas de etanol no país, aproximadamente 17gCO2/MJ. Esse dado reforça a sustentabilidade da produção de etanol de milho, alinhando-se às preocupações ambientais globais.


Projeções para a Safra de Grãos 2023/24 e Impacto nas Exportações

O 1º Levantamento da Safra de Grãos 2023/24, divulgado em outubro pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), estima uma produção total de milho de 119,4 milhões de toneladas. Destas, prevê-se que 38 milhões de toneladas serão destinadas à exportação, consolidando a importância do Brasil como um fornecedor significativo no mercado internacional.

A abertura desses novos mercados representa não apenas uma expansão econômica para o Brasil, mas também um reconhecimento da qualidade e competitividade dos produtos agropecuários brasileiros no cenário global.


Reportagem por Amanhecer Agrícola
Fonte: Mapa
Foto: Divulgação/Mapa

Postar um comentário

0 Comentários