Agricultura: Expectativas para 2024

Clima adverso e custos altos devem pressionar produção, mas destaques como arroz, laranja e trigo devem compensar

Agricultura

O ano de 2024 deve ser marcado por desafios para o setor agropecuário brasileiro. As condições climáticas adversas, com secas e estiagens intensas em algumas regiões do país, devem impactar negativamente a produção de grãos, a principal atividade do agronegócio brasileiro.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que a safra brasileira de grãos em 2024 deve totalizar 306,4 milhões de toneladas, uma queda de 13,5 milhões de toneladas em relação à safra de 2023. A principal cultura afetada será o milho, com produção prevista de 123,9 milhões de toneladas, uma queda de 12,7%. A soja, por sua vez, deve apresentar queda de 1,4%, para 329,9 milhões de toneladas.

Além das condições climáticas, o aumento dos custos de produção também deve pressionar os resultados do agronegócio em 2024. Os preços dos insumos, como fertilizantes, defensivos e sementes, têm registrado alta nos últimos meses, o que tem reduzido a margem de lucro dos produtores.

Apesar dos desafios, o agronegócio brasileiro deve continuar a ser um dos setores mais importantes da economia brasileira. As projeções do Ministério da Agricultura apontam para um Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuário de R$ 1,166 trilhão em 2024, uma queda de 0,2% em relação a 2023.


Os destaques do agronegócio em 2024

Apesar do cenário desafiador, alguns produtos agrícolas devem apresentar desempenho positivo em 2024. O arroz, por exemplo, deve registrar alta de 29,9% na produção, para 26,3 milhões de toneladas. A laranja também deve apresentar crescimento, com produção estimada em 26,4 milhões de toneladas, um aumento de 28,3%. O trigo, por sua vez, deve reverter o cenário de queda da safra passada e registrar alta de 24,2%, para 12,9 milhões de toneladas ¹.


Os desafios para o agronegócio em 2024

Os principais desafios para o agronegócio brasileiro em 2024 poderão ser:

  • Condições climáticas adversas: As secas e estiagens intensas devem impactar negativamente a produção de grãos, a principal atividade do agronegócio brasileiro.
  • Aumento dos custos de produção: Os preços dos insumos, como fertilizantes, defensivos e sementes, têm registrado alta nos últimos meses, o que tem reduzido a margem de lucro dos produtores.
  • Riscos sanitários: O setor agropecuário brasileiro está exposto a uma série de riscos sanitários, como pragas e doenças, que podem causar prejuízos significativos à produção.

Perspectivas para o futuro

O agronegócio brasileiro deve continuar a ser um dos setores mais importantes da economia brasileira nos próximos anos. No entanto, o setor precisará enfrentar os desafios mencionados acima para garantir a sua competitividade e o seu crescimento.

Algumas medidas que podem ser adotadas para mitigar esses desafios incluem:

  • Investimentos em pesquisa e desenvolvimento: O desenvolvimento de novas tecnologias e práticas agrícolas pode ajudar a reduzir a dependência de insumos importados e a aumentar a produtividade.
  • Apoio à inovação: O setor agropecuário precisa ser incentivado a inovar, tanto na produção quanto na comercialização.
  • Cooperação internacional: O Brasil pode trabalhar em conjunto com outros países para enfrentar os desafios globais, como as mudanças climáticas e a segurança alimentar.


Reportagem por Amanhcer Agrícola
Foto Илья por Pixabay
¹Fonte: Globo Rural

Postar um comentário

0 Comentários