Ministério da Agricultura confirma primeiro foco de influenza em ave de produção caseira no ES

Caso de influenza aviária de alta patogenicidade foi detectado em criação doméstica no município de Serra, Espírito Santo, envolvendo diversas espécies de aves.


Três galinhas em um gramado.


O Ministério da Agricultura divulgou hoje a confirmação do primeiro caso de influenza aviária de alta patogenicidade em produção de subsistência no Brasil. O foco da doença foi detectado no município de Serra, localizado no Espírito Santo. Segundo informações fornecidas pelo ministério, o caso ocorreu em uma criação doméstica que abrigava pato, ganso, marreco e galinha.

A detecção desse foco de influenza em aves domésticas de criação caseira é um acontecimento inédito desde a entrada do vírus H5N1 no país em 15 de maio. É importante ressaltar que essa ocorrência não traz restrições ao comércio internacional de produtos avícolas brasileiros, e tanto o consumo quanto a exportação de produtos avícolas permanecem seguros, conforme esclarecido pelo Ministério da Agricultura.

As autoridades sanitárias estão intensificando as ações de vigilância e realizando inspeções em criações de aves domésticas próximas à região onde o caso foi identificado. Medidas de contenção e erradicação do foco também estão sendo adotadas. O Ministério de Agricultura e o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (IDAF) poderão adotar novas medidas com base na evolução das investigações e do cenário epidemiológico, a fim de prevenir a disseminação do vírus e proteger a avicultura nacional.

Além desse caso em criação doméstica, o país já acumula outros 50 casos de gripe aviária em aves silvestres. Os estados afetados são Espírito Santo, Bahia, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Atualmente, há sete investigações em andamento relacionadas a possíveis casos da doença.

É importante destacar que as notificações de influenza aviária em aves silvestres ou de subsistência não comprometem o status do Brasil como país livre de IAAP, de acordo com a Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA). Além disso, não há restrições ao comércio internacional de produtos avícolas brasileiros em decorrência desses casos.



Veja mais (a reportagem continua): Presidente anuncia Plano Safra 2023/2024 com financiamento de R$ 364,22 bilhões para fortalecer a produção agropecuária sustentável.



A influenza aviária é uma doença viral altamente contagiosa que afeta aves, podendo levar a taxas de mortalidade significativas em algumas espécies. Os vírus da influenza aviária são classificados de acordo com sua patogenicidade, sendo que a alta patogenicidade indica uma forma mais severa da doença. A identificação e o controle rápido dos focos são fundamentais para evitar a disseminação do vírus e minimizar os impactos na avicultura. No entanto, é essencial lembrar que a doença não representa risco direto à saúde humana quando os produtos avícolas são devidamente preparados e cozidos.

As aves desempenham um papel importante na economia e no ecossistema. São animais diversos e fascinantes, com uma ampla variedade de espécies e características únicas. Aves domésticas, como galinhas, patos e gansos, são criadas para fins alimentares e são fonte de proteína animal para muitas pessoas em todo o mundo. No entanto, é crucial garantir a saúde e o bem-estar dessas aves, além de implementar medidas de controle adequadas para prevenir a disseminação de doenças, como a influenza aviária. A vigilância constante e a adoção de boas práticas na produção avícola são fundamentais para garantir a segurança alimentar e a saúde animal.

Postar um comentário

0 Comentários