Equipe técnica do Mapa acompanha embarque de 21 mil animais para a Turquia

Eles partem do Porto de São Sebastião (SP), mas procedimentos de bem-estar animal começam bem antes, ainda nas fazendas

Boi

O Porto de São Sebastião, localizado no litoral de São Paulo, está vivenciando o embarque de 21.084 bois vivos com destino à Turquia. Acompanhados por uma equipe técnica do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), os animais da raça Brangus - resultado do cruzamento do Aberdeen Angus com os zebuínos nelore, tabapuã, brahman, entre outros - têm seus procedimentos de bem-estar animal monitorados desde as fazendas de origem até o momento do embarque. Nesta reportagem, conheceremos de perto as medidas adotadas para garantir a saúde e o conforto dos animais durante essa jornada.


A preocupação com o bem-estar animal

A equipe responsável pela vigilância agropecuária composta por auditores fiscais federais agropecuários e agentes de atividades agropecuárias do Departamento de Saúde Animal (DSA) e da Coordenação Geral da Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Mapa tem como missão garantir que os animais embarquem em ótimas condições de saúde e bem-estar. Isso requer cuidados desde os Estabelecimentos Pré-Embarque (EPEs), onde os bois ficam em quarentena para cumprir as medidas sanitárias exigidas pelos países importadores.

No EPE, os servidores do Serviço de Fiscalização de Insumos e Saúde Animal (Sisa) acompanham de perto o tratamento e as condições dos animais, garantindo que eles estejam prontos para a viagem ao final do período de quarentena. A chegada ao porto é o próximo passo, e lá outra equipe do Vigiagro assume a responsabilidade de verificar as condições dos animais antes do embarque. A viagem entre os EPEs e o porto deve ser concluída em no máximo 12 horas, enquanto a viagem entre o Brasil e a Turquia pode levar de 18 a 20 dias.


Celso Gabriel Herrera Nascimento comenta sobre o trabalho da equipe

O chefe do Serviço Regional de Gestão do Vigiagro da 4ª Região, Celso Gabriel Herrera Nascimento, destaca a importância do planejamento e dos protocolos de manejo e viagem para garantir a saúde e segurança dos animais durante todo o processo. Ele afirma: "Todo o trabalho envolve planos de manejo, planos de viagem, de contingência, tudo para garantir que os animais sigam em boas condições de saúde e que os ambientes à sua volta garantam segurança e bem-estar".


Destino dos animais e os mercados internacionais

Neste embarque específico, os animais serão destinados à engorda na Turquia. Ao longo de 2023, somente no Porto de São Sebastião, foram realizados oito embarques com destino à Turquia, totalizando aproximadamente 70 mil animais. Além da Turquia, o Brasil também exporta animais vivos para diversos outros países, incluindo Egito, Iraque, Palestina, Angola, Argélia, Bolívia, Camboja, Congo, Emirados Árabes Unidos, Equador, Ilhas Maurício, Jordânia, Líbano, Irã, Marrocos, Moçambique, entre outros. As exportações são realizadas não apenas pelo Porto de São Sebastião, mas também pelos portos de Rio Grande (RS), Imbituba (SC) e Vila do Conde (PA).


A preocupação com o bem-estar animal - As cinco liberdades

O bem-estar animal é uma preocupação central durante todo o processo de exportação. A Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) define o bem-estar animal como a sanidade física e mental dos animais, garantindo que eles estejam saudáveis, confortáveis, bem alimentados e seguros, além de serem capazes de expressar comportamentos naturais. A OMSA também estabelece as cinco liberdades como condições mínimas para o bem-estar animal:

1. Viver livre de fome, sede e desnutrição;

2. Viver livre de medo e angústia;

3. Viver livre de desconforto físico e térmico;

4. Viver livre de dor, lesões e doenças;

5. Viver livre para manifestar o comportamento natural.







O Mapa trabalha em parceria com as equipes técnicas e os exportadores para garantir que essas condições sejam atendidas durante todo o processo de exportação. Fiscalizações rigorosas são realizadas nas embarcações, assegurando que a alimentação, água, ventilação e espaçamento sejam adequados para os animais.

A vigilância agropecuária desempenha um papel essencial na exportação de animais vivos do Brasil para diversos países, assegurando que os animais embarquem em condições adequadas de saúde e bem-estar. O trabalho minucioso da equipe do Mapa, desde os Estabelecimentos Pré-Embarque até o momento do embarque no Porto de São Sebastião, contribui para a promoção do bem-estar animal e o cumprimento das normas internacionais.

Assegurar que os animais sejam tratados com dignidade, cuidado e respeito durante todo o processo de exportação é fundamental para a imagem do Brasil no cenário internacional e para a sustentabilidade da indústria agropecuária. Com uma abordagem responsável e vigilante, o país pode continuar sendo um importante fornecedor de animais vivos para mercados globais, mantendo-se alinhado aos princípios de bem-estar animal estabelecidos pelas organizações internacionais.


Fonte: Mapa

Postar um comentário

0 Comentários