Mapa Desenvolve Zarc para a Pecuária de Corte no Brasil

Zoneamento Agrícola de Risco Climático promete impulsionar a eficiência ambiental e a evolução da pecuária brasileira

Campo com capim em um horizonte com céu e nuvens.
Imagem de Demetrius por Pixabay


A pecuária de corte, uma das atividades econômicas mais emblemáticas do Brasil, enfrenta desafios significativos em um cenário de demanda crescente por carne bovina e uma redução progressiva das áreas de pastagens. Em resposta a esses desafios, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), está investindo recursos consideráveis em um projeto inovador: o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a produção forrageira destinada à pecuária de corte.




Veja mais (a reportagem continua): 
As Tendências Tecnológicas na Agricultura
Drone



A Importância do Zarc na Pecuária Brasileira


A pecuária de corte, que depende em grande parte de pastagens, desempenha um papel vital na economia brasileira. No entanto, a crescente demanda por carne bovina, aliada à redução das áreas de pastagens ao longo das últimas duas décadas, tornou imperativo o aumento da eficiência ambiental na produção pecuária.

Nesse contexto desafiador, a tecnologia emerge como um pilar fundamental para impulsionar os resultados da pecuária. A coleta e análise de informações relacionadas ao clima, solo, plantas e animais tornaram-se cruciais para otimizar a produção de forragem nas pastagens. É precisamente aí que o Zarc da produção forrageira para a pecuária entra em jogo.

Para Jônatas Pulquério, Diretor de Gestão de Risco do Mapa, o Zarc é o resultado de uma parceria estratégica entre o Mapa e a Embrapa, destacando a importância da pesquisa científica para aprimorar a eficiência ambiental e o desenvolvimento da pecuária brasileira.


O Desafio do Zarc para Forrageiras


O Zoneamento Agrícola de Risco Climático para pecuária é um empreendimento mais complexo do que o Zarc voltado para culturas agrícolas. Isso ocorre porque ele incorpora mais um componente crítico: o animal.

Para criar o Zarc, está sendo desenvolvido um modelo matemático sofisticado capaz de simular a capacidade de suporte das pastagens, avaliar os riscos envolvidos e determinar a necessidade de suplementação alimentar dos animais. Isso é feito com base em dados históricos de variações climáticas e informações sobre as características do solo. No contexto do Zarc para forrageiras destinadas à pecuária de corte, o equilíbrio entre o crescimento das pastagens e a demanda por alimentos pelos animais é o fator-chave para identificar os riscos climáticos.

Os resultados do Zarc Pecuária permitirão a identificação da taxa de lotação crítica das pastagens em cada município e os meses com maior risco de escassez de alimentos, com base na taxa de lotação animal utilizada. Inicialmente, o Zarc Pecuária estará disponível para o capim-marandu, a forrageira mais cultivada no Brasil, especialmente no Cerrado e nas regiões Nordeste e Sudeste da Mata Atlântica. Os resultados serão submetidos a validações rigorosas pela Embrapa, instituições de pesquisa parceiras e o setor produtivo, por meio de reuniões. No futuro, o estudo poderá ser expandido para incluir outras forrageiras e regiões do país.


O Impacto do Zarc na Agropecuária Brasileira


O Zoneamento Agrícola de Risco Climático, coordenado pelo Mapa e executado pela Embrapa, com o apoio do Banco Central do Brasil, já demonstrou sua eficácia ao indicar as melhores épocas de cultivo com menor risco de perdas devido às condições climáticas adversas para mais de 60 sistemas produtivos no país. Essas informações desempenham um papel crucial ao facilitar o acesso ao crédito agrícola e ao cumprimento das exigências para a participação no Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e no Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR).

O Zarc é uma ferramenta fundamental para reduzir os riscos de perdas na agropecuária e minimizar as perdas econômicas associadas a esses eventos adversos.


Acessibilidade por Meio do Aplicativo Plantio Certo


Produtores rurais e demais stakeholders do agronegócio agora têm acesso conveniente às informações oficiais do Zarc através de tablets e smartphones, graças ao aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Agricultura Digital (Campinas/SP). Esse aplicativo está disponível nas principais lojas de aplicativos e simplifica a orientação em relação aos programas de política agrícola do governo federal.

Os resultados do Zarc também podem ser consultados e baixados por meio da plataforma "Painel de Indicação de Riscos" e nas portarias de Zarc por Estado, proporcionando uma ampla acessibilidade a informações essenciais para o setor agropecuário.

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático para a produção forrageira para a pecuária de corte representa um avanço significativo no setor agropecuário brasileiro, apontando para uma produção mais eficiente, sustentável e resiliente às adversidades climáticas. Com essa iniciativa inovadora, o Brasil reafirma seu compromisso com o crescimento responsável e aprimoramento contínuo de seu setor agropecuário, que é uma das bases fundamentais de nossa economia.


Fonte: Mapa


Postar um comentário

0 Comentários