Boletim sobre o El Niño 2023 divulgado pela INMET

Boletim conjunto de Inmet, Inpe, ANA e Cenad revela El Niño 2023, com chuvas no Sul e déficit no Norte.

A imagem mostra um céu escuro e nublado com vários raios caindo. Os raios são muito brilhantes e podem ser vistos em vários lugares do céu. O céu está escuro e nublado, com algumas nuvens de tempestade.
Imagem de Keli Black por Pixabay


No dia 20 de setembro de 2023, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em colaboração com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastre (Cenad), divulgou um boletim informativo com o intuito de apresentar dados relacionados ao monitoramento, previsões e os potenciais impactos do fenômeno El Niño no Brasil durante o ano de 2023.

Este relatório é resultado de uma iniciativa conjunta entre órgãos nacionais oficiais que têm como foco principal o monitoramento, a regulação do uso das águas, a gestão de riscos e a previsão do clima e do tempo. O objetivo é atualizar regularmente as informações sobre o fenômeno El Niño para auxiliar os órgãos governamentais federais e estaduais, bem como contribuir para a tomada de decisões relacionadas ao país.


Padrão do El Niño Emergindo

De acordo com o boletim, desde junho de 2023, tem sido observado um padrão típico do fenômeno El Niño nas temperaturas da superfície do mar. Esse padrão se manifesta na forma de uma faixa de águas quentes, localizada principalmente no Oceano Pacífico Equatorial, que apresenta temperaturas superiores a 3°C, especialmente nas proximidades da costa da América do Sul. Entre agosto e o início de setembro, houve evidências de atividade convectiva anômala nessa região, associada ao desenvolvimento de nuvens profundas.


Chuvas no Rio Grande do Sul e Déficit nos Demais Estados

Um dos efeitos notáveis do El Niño neste ano foi o aumento das chuvas no Rio Grande do Sul, entre 1º e 19 de setembro, com volumes em torno de 450 milímetros (mm). Entretanto, nos demais estados do país, foi registrado um déficit de precipitação, com volumes inferiores a 50 mm, abaixo da média histórica, principalmente na Região Norte.


Previsões para o Próximo Trimestre

Para o próximo trimestre (outubro, novembro e dezembro), as previsões indicam uma maior probabilidade de chuvas abaixo da média nas regiões leste, central e norte do Brasil. Por outro lado, na Região Sul, parte de Mato Grosso do Sul e São Paulo, há uma previsão de maior chance de chuvas acima da média. Essas previsões refletem as características típicas do El Niño sobre o Brasil. Quanto às temperaturas, há uma maior probabilidade de valores acima da média na maior parte do país.


Armazenamento de Água no Solo e Vazões dos Rios

Em relação ao armazenamento de água no solo, a parte sul de Mato Grosso do Sul, São Paulo e a Região Sul indicam que a umidade no solo será mantida em níveis superiores a 70%. Vale destacar que o El Niño pode causar grandes volumes de chuva, levando a um aumento nos níveis de água no solo, com valores acima de 90%, resultando em um possível excesso de água.

Quanto às vazões naturais, o rio Madeira apresenta valores 35% abaixo da média para o mês, enquanto o rio Xingu tem valores próximos à média. Em relação ao armazenamento nos reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN), atingiu 75,7%, e na Região Nordeste, 48,1%. Embora essa seja uma melhora em relação aos últimos quatro anos para este período, ainda existe uma situação crítica em pelo menos 12 sistemas hídricos locais regulados pela ANA.


Instituto Nacional de Meteorologia (INMET)

O Inmet é um órgão vinculado ao Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) e representa o Brasil junto à Organização Meteorológica Mundial (OMM) desde 1950.


Fonte: INMET

Postar um comentário

0 Comentários